Aos 55 anos, Homem-Aranha ainda é mais jovem que eu

Este mês de outubro (que já está acabando, graças a Deus!) o Homem-Aranha completa 55 anos desde sua primeira aparição nos quadrinhos. Descobri o fato sem querer, pelo Facebook, enquanto re-assistia o Spider-Man: Homecoming (Desculpa o título em inglês, mas é que “De volta ao Lar” não transmite os vários sentidos que Homecoming.

O amigo da vizinhança foi a primeira franquia de sucesso de super-herói da minha geração. Digo da minha porque, se longe, nada bate o Batman de 1966. NADA. Mas voltando ao aranha: desde a primeira vez que assisti o mais recente recomeço do super-herói tive a certeza de que foi o melhor deste ano, batendo, sim, Logan e Mulher-Maravilha.

Sei que a afirmação acima é polêmica dado o salto gigantesco de representatividade feminina que Mulher-Maravilha. Reconheço e admiro isso, e meus parabéns à diretora e todos os envolvidos que provaram que dá pra fazer uma super mulherão da porra nos cinema sim. Além disso, pela primeira vez em anos a DC provou que poderia fazer um filme mais do que “razoável”. O fiasco de Esquadrão Suicída deve doer até hoje neles (eu realmente espero que doa mesmo, que que foi aquilo meu Deus?).

Mas, sinto muito, Homem-Aranha é melhor. A produção, a fotografia, o link com o universo Marvel, as atuações. E o roteiro? Gente, que roteiro é esse? Quase nenhum furo. Para alguns pode parecer preciosismo de jornalista-de-humanas, mas que diferença faz um roteiro bem feito e bem amarrado. E é neste ponto que MM perde: dos três arcos narrativos, o último parece ter sido feito pelo cara que ficou responsável só de apagar as luzes. “Eu acredito no amor” é quase um insulto pra gente que se relaciona com as trevas e a escuridão.f4881cb269397ca66afdc20b297bce2d

Quanto à Logan, se coloco-o na frente é apenas porque Logan é uma despedida, enquanto Homem Aranha é o começo (aliás, Marvel, é bom que no próximo você me mandem doses da MJ mais “eu” que eu já vi na vida). O espírito adolescente loser cai muito bem em Holland, que interpreta o super-herói, enquanto eu Wolverine só me lembra o quanto estamos ficando velhos. A questão aqui é mais filosofal que técnica mesmo.

O que mais me encanta, de tudo, é o quanto este filme me surpreendeu, já que a Marvel tinha resolvido entrar numa de DC e MOSTROU PRATICAMENTE O FILME TODO NUM TRAILER. Se tem uma coisa que eu odeio em todos os filmes da DC dos últimos anos é como eles conseguem resumir a história e contá-la antes de lançar o filme, provando apenas o quão medíocre são as últimas histórias. A Marvel cometeu esse erro neste Homem-Aranha, o que me deixou revoltada, mas acho que o filme foi tão bom que consegui perdoar. Porque, caralho, que filme foda.

Enfim, Homecoming prova que aos seus 55 anos, o Homem-Aranha continua meu herói favorito, com o espírito jovem e o jeito loser de Peter Park (que, muito diferente do Spider antes deste, era um perdedor de verdade). Tobey Maguire pode ter sido meu primeiro-amor-aranha, mas Holland é aquele Aranha que quero guardar numa caixinha pra sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s